É sério que os petistas vão atacar Aécio até pela bebida?


O que não faz o desespero? Minha mãe escutou no salão dela hoje duas manicures conversando. Falavam sobre política e eleições. Comentavam sobre um vídeo que circula por aí com Aécio Neves um tanto “alto” por ter tomado umas e outras além da conta. Evangélicas, mostravam-se incomodadas com aquilo. Quando minha mãe me relatou o caso, pensei: é sério isso?
Nunca devemos subestimar a cara de pau dos petistas, sua canalhice. Mas eles sempre são capazes de nos surpreender. Não pensei que gente do PT, logo do PT de Lula, fosse usar a bebida para atacar um opositor. Ó, céus! O tucano já ficou bêbado uma vez na vida! Não pode governar bem o Brasil! É melhor colocar em seu lugar um “poste” do… Lula. Ops! Um momento! Muita calma nessa hora!
Será que essa turma acha que a memória do eleitor é tão ruim assim para não lembrar mais que Lula sempre foi cachaceiro? Um jornalista estrangeiro quase foi expulso do país por seu governo apenas por constatar esse fato, conhecido por todos nós: Lula sempre foi chegado a uma caninha (depois ele se “aburguesou”, ficou rico e tomou gosto por vinhos caros). Eis algumas fotos disponíveis na internet:
Lula bebum
Lula bebum 2
Lula bebum 3
Como podemos ver, o ex-presidente Lula tem certo apreço pelo álcool. Mas não foi isso que fez dele um presidente ruim, e sim o mensalão, o populismo, a demagogia, etc. Só que aturar petistas espalhando por aí imagens de Aécio um pouco “torto” para prejudicá-lo é realmente um espanto.
E para não dizerem que a comparação deve ser apenas entre Dilma e Aécio, podemos ver que a presidente também não parecia em seu melhor estado quando esteve no luxuoso restaurante Eleven em Lisboa, em uma parada estratégica muito suspeita em Portugal sem aviso prévio, justo na terra em que Rose, a “amiga íntima” de Lula, supostamente levou malas de dinheiro:
Dilma bebum
Dilma bebum 2
Portanto, petistas, vamos deixar o álcool de lado, subir um pouco o nível e debater ideias, propostas e a trajetória de cada um?
Rodrigo Constantino
Fonte VEJA

Comentários