Crianças se comportam como detentas em presídios do Piauí



Filhos de detentos reproduzem os gestos que as mães fazem durante revistas.



Entre as grades. É assim que vivem os filhos das detentas das penitenciárias do Estado do Piauí. Muitas das crianças, de tanto vivenciarem essa rotina nos presídios, acabam reproduzindo gestos semelhantes aos dos que estão lá cumprindo pena. Além disso, os filhos convivem com a sujeira e em locais inadequados para uma criança ter um crescimento e desenvolvimento digno.
“As presas sempre passam por revistas. Elas encostam o rosto e as mãos na parede e abrem as pernas. Uma criança de apenas dois anos, filha de uma das detentas, fez exatamente o que as presas estavam fazendo”, disse Welington Rodrigues, vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi).
Foto: Reprodução
Crianças convivem com locais insalubres nas penitenciárias do Piauí
Segundo o sindicalista, uma criança crescer dentro de um presídio fere com o que diz o Estatuto da Criança e Adolescente (Eca). “Não queremos que elas [crianças] sejam tiradas das mães, mas que sejam proporcionados locais adequados para elas ficarem”, pontuou Wellington Rodrigues.
Ele ressalta ainda que, “quando um adolescente faz algo fora da lei ele é apreendido. Então, como que o sistema o trata como um preso comum?”, questiona Rodrigues, ressaltando que, é necessário mais estrutura, por parte da Secretaria de Justiça (Sejus) para que essas crianças tenham acompanhamento desde o seu nascimento.
fonte:  Portal ODIA