AS DORES DO ABANDONO - Lição 12


 
Texto Áureo: 'Deus faz que o solitário viva em família; liberta aqueles que estão presos em grilhões; mas os rebeldes habitam em terra seca9' (SI 68-6)-

Lição Bíblica em Classe: 2 Timóteo 4.9 18

9 - Procura vir ter comigo depressa.

10 - Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessaio nica; Crescente, para a Calácia, Tito, para a Dalmácia,

11 -Só Lucas está comigo. Toma Marcos e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.


12 - Também enviei Tíquico a Éfeso.


13 - Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.


14 - Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras.


15 - Tu, guarda-te também dele, porque resistiu muito às nossas palavras.


16 - Ninguém me assistiu na minha primeira defesa; antes, todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado.


17- Mas o Senhor assistiu-me e fortaleceu-me, para que, por mim, fosse cumprida a pregação e todos os gentios a ouvissem; e fiquei livre da boca do leão.


18 - E o Senhor me livrará de toda má obra e guardar-me-á para o seu Reino celestial; a quem seja glória para todo o sempre, Amém!



Ele levou sobre si as nossas dores

A cruz faz brotar os pecados, mas ela cumpre as profecias. A descrição que lemos na Bíblia sobre o Senhor Jesus é a seguinte: “[...] olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse.” A Nova Tradução da Linguagem de Hoje é ainda mais direta:
“Ele não era bonito nem simpático, nem tinha nenhuma beleza que chamasse a nossa atenção ou que nos agradasse.”

O pecado da humanidade desfigurou a forma perfeita de Jesus. Ele não era feio. Era um jovem de 33 anos quando foi morto. Vemos no livro de Cantares que a face do Senhor é bela. Não havia ninguém sobre a face da terra, homem algum mais belo do que o próprio Senhor Jesus. Seu corpo não trazia nenhuma contaminação do pecado, toda harmonia foi tão perfeita em sua vida, mas ali na cruz, após o flagelo, seu rosto cheio de hematomas, o sangue coagulado, as feridas expostas, como se fosse uma chaga aberta, revelaram uma aparência horrível e “muitos ficaram horrorizados quando o viram, pois ele estava tão desfigurado, que nem parecia ser humano” (Isaías 52.14). Diante dessa condição, aos olhos humanos, nenhuma beleza havia para que o desejássemos.
No capítulo 53 de Isaías, escrito 700 antes, a cruz foi o cumprimento das profecias. Exatamente naquele momento, quando o Senhor estava na cruz e rendeu o seu espírito, um milagre aconteceu: o véu do santuário se rasgou de alto a baixo. Ou seja, através da cruz, através de Jesus, todo impedimento que havia para o homem se aproximar de Deus foi desfeito. É por isso que na cruz tudo passa a ter uma aproximação diferente, porque a cruz não apenas nos aproxima de Deus, não apenas nos aproxima do nosso próximo, mas a cruz nos aproxima de nós mesmos. Nós nos vemos ali na cruz, nela Deus revela a nossa vida interior.
No texto de Isaías 53, no versículo 4, está escrito que “certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades
[...]” A Bíblia de Estudos Dake apresenta a seguinte definição de tomar: “Levantar, carregar, levar, arremeter, facilitar, apagar, levar embora”. A ideia é a de uma pessoa tomando a carga de outra e colocando essa carga sobre si, como se estivesse carregando uma criança. Se Cristo tomou as nossas enfermidades, então elas foram levadas no mesmo sentido que os pecados foram levados.

Jesus Cristo tomou sobre si as nossas enfermidades físicas, nossas enfermidades psicológicas, nossas enfermidades morais. Tomou também sobre si as nossas dores, as dores das mágoas, as dores da discriminação, as dores da violência, as dores do abandono.
Enfim, tudo aquilo que aflige a sua vida pode ser entregue a Jesus Cristo. Talvez você se sinta sozinho, sem ninguém para desabafar, não tem um ombro para chorar, porém saiba que você não está só. O que o Mestre mais deseja é tomá-lo nos braços e aliviar o jugo que está sobre as suas costas. “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (Mateus 11.28-30.)
Outro ponto que podemos analisar é o que se refere à opinião. Veja o que diz a segunda parte do verso 4, de Isaías 53, na Nova Tradução da Linguagem de Hoje: “E nós pensávamos que era por causa das suas próprias culpas que Deus o estava castigando, que Deus o estava maltratando e ferindo.” Muitas vezes as nossas opiniões não passam de “achismos”.

E assim fizeram as pessoas naquela época. Elas olhavam para Jesus na cruz com desprezo, achavam que Ele tinha sido abandonado por Deus. Ali na cruz as pessoas diziam: “Se tu és Deus, desça da cruz, filho de Deus não fica na cruz” (Mateus 27.42). Havia desprezo e cada um tinha uma opinião acerca do fato de Ele estar sendo crucificado. Muitos falaram mil coisas a seu respeito, entretanto, ali na cruz Ele tomou nossas opiniões, as mais absurdas possíveis, e sofreu vicariamente (em nosso lugar) pelos nossos pecados. Não havia absolutamente nada em Jesus para que Ele pudesse estar na cruz. Se Ele quisesse, poderia ter descido da cruz, o que prendia Jesus na cruz não eram os cravos, o que o prendia na cruz era seu grande amor para conosco, porque se Ele tivesse descido, eu não estaria aqui, tampouco você.
Esse mundo há muito já teria sido dizimado completamente.
Esse mundo seria uma guerra constante, nossa vida seria um inferno no presente. Por que Ele não desceu da cruz? Cada um tinha uma opinião tão distinta. Mas Ele continuou ali na cruz. Por quê?

Comentários