A Rebeldia dos Filhos - Lição 08


"SABE, porém, isto : que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens...desobedientes a pais e mães". - 2 Timóteo 3:1-2.
por Vilson Ferro Martins - www.vozdotrono.com.br

Esta mensagem não diz respeito apenas a rebeldia de adolescentes e jovens, mas abrange a família como um todo, portanto, a sugestão é que todos possam lê-la, para glória do Senhor!

Se existe uma coisa que tem colocado a família em polvorosa é a desobediência dos filhos, principalmente dos adolescentes, mas igualmente dos jovens. Particularmente creio que: criança desobediente progride para adolescente desobediente que progride para jovem desobediente e culmina num adulto inconsequente.

MALIGNO:


De onde provém essa desenfrada desobediência ou como queiram alguns - rebeldia? Como sempre a imutável Palavra de um Deus imutável nos dá respostas!
A desobediência ou rebeldia aos pais está ligada diretamente a ação do diabo. Isso mesmo! Ação do maligno nas famílias e pessoas. O apóstolo Paulo assevera em Romanos 1, "...pessoas que não se importam em ter conhecimento de Deus se tornam vítimas de um sentimento perverso, que dentre tantas malignidades uma delas culminará com a rebeldia aos pais". (vv.28-32).

"O diabo está sempre pronto para devorar-nos (1 Pedro 2:8), para afligir-nos e enganar-nos. Ele nos tenta com seus ardís, seus laços, seus dardos inflamados, seus enganos e suas insinuações; ele excita nossas paixões; ele afeta nossas mentes. Ele é o responsável pela marioria de nosso mau humor, nossas depressões, nosso senso de desesperança e toda vez que nós nos voltamos para nós mesmos e nos deparamos contemplando nossas fraquezas, nossas falta de habilidade, ou seja o que for que exista em nós mesmos, ao mirar-nos dessa maneira, é sempre o diabo que o faz. Ele nos torna introspectivos como homens e mulheres, sabendo que quando estamos olhando para nós mesmos, não estamos olhando para Deus; e é por isso que ele produz todo ânimo negativo e depressões dentro de nós. Ele afeta nossos corpos e é capaz de produzir enfermidades e indisposições. Ele tem o poder de proceder assim e o usa". (Lloyd Jones).

Quando encontramos pessoas "cristãs" que enfrentam terríveis problemas pessoais e familiares, que procuram ajuda em psicólogos ou psiquiatras frequentemente tais pessoas se acham assediadas e achacadas pelo diabo. Tais profissionais tem seu valor, mas, pouco ou quase nada contribuirão para a solução do conflito.
Quer alguém concorde ou não existe uma pré-disposição para a rebeldia face a desobediência. Vou esclarecer melhor isso: Se uma família arroga para si o título de cristã, a atmosfera dessa família deve externar a presença de Cristo; afinal, quando se diz "cristão" é porque supostamente pertence a Cristo. Uma das qualidades que as crianças logo cedo desenvolvem em suas vidas é de detectar a hipocrisia!

Mas, se o título é um e a natureza da(s) pessoa(s)s e supostamente da família é outra? Bem, o diabo estará livre para agir e promover o que ele mais sabe fazer: roubar, matar e destruir, então os valores bíblicos e cristãos serão suplantados pelos valores (se é que são valores) mundanos. Leiamos Eféios 2:2- "Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência". Foquemos no que diz a parte final do versículo: "...do espírito QUE AGORA OPERA nos filhos da desobediência". Esse espírito de rebeldia se encontra em franca operação e não poupa ninguém, a menos que possamos resistí-lo. Assim, se o rótulo é um, mas o conteúdo é outro, certamente o que fará efeito é o conteúdo e não o rótulo. Atentemos bem sobre isso!

Se falamos que somos cristãos e que nossa família é cristã, então devemos considerar o que nossas crianças tem presenciado na medida em que estão crescendo? (Não vou nem entrar no mérito da questão em relacionar aqui situações, palavras, atos, atitudes, programas, festividades, etc). Cada qual tem sua consciência para lhe servir de juiz. Se uma criança nunca observa seus pais orarem, ele vai aprender orar? Louvar? Ler a Bíblia? Meditar? Colocar anseios diante do Senhor? Obedecer? Respeitar?
Todavia, alguém diz: Mas irmão, em minha casa meu marido (ou esposa) não é cristão e isso pesa na educação de nossos filhos, então como agir, pois percebo que nossos filhos estão cada dia mais rebeldes e problemáticos?

EXAMINAR:
Pois bem, a chave se encontra na própria Palavra. Jesus disse: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna..." (João 5:39). Parece um texto fora de contexto, mas basta atentar o que significa "vida eterna" para um cristão e constataremos que o "pacote" é completo. Inclusive, uma família harmoniosa com filhos criados na admoestação do Senhor, sendo bençãos para nós, para a igreja e para a sociedade!

A primeira chave é ter consciência de que está sendo atacada pelo diabo e seus demônios, portanto, não atribua a si mesmo(a) o fracasso de tal clima. Tampouco atribua a si mesmo(a) a seu pecado passado, fracasso pessoal, atitudes errôneas, ou coisas semelhantes (já confessadas). A atribuição deve ser uma só, pois a fonte é uma só, a saber: o diabo! Basta analisar os nomes que a Bíblia lhe atribui para se ter uma idéia de seus feitos (satanás, besta, serpente, leviatã, diabo, caluniador, adversário, opositor, belzebu, etc). Aliás, para termos em mente como os nomes atribuiem características a pessoa que o possui, quando falamos que Deus é Jeová Jiré, ou Rafá, ou Shamá, por exemplo - logo entendemos que Ele é nossa Provisão, Cura e nossa Bandeira. Assim por diante; portanto, lembrem-se sempre disso quando ler os nomes do diabo...Assim, se ele (o diabo) puder nos manter apáticos ou ocupados ou ainda pré-ocupados, já terá obtido muito êxito e nos embaraçado em nossa caminhada nessa vida.

CRER:
A segunda chave é CRER que é VERDADE que o Senhor afirma nas Escrituras: "Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos" ( 1 Corintios 7:14). Ora, se a Palavra chama nossos filhos de "santos", de quem é a origem, ou de qual fonte que sugere que os mesmos sejam chamados de "capetas" ? Percebem a influência do maligno?

Agora, não sejamos meninos (e meninas) em pensar que não teremos lutas. Certamente as teremos, mas, já temos a Palavra de Vitória mais que liberada sobre nós e nossos filhos e a diferença se constatará em estarmos ou não em posição de autoridade para fazer valer tais verdades e aplicá-las em nossas vidas e famílias. Em momento algum o Senhor disse que não teríamos tribulações. Pelo contrário, disse que uma das coisas que marcaria o tempo do fim seria a REBELDIA dos filhos contra os pais. Nítidamente uma revolta de satanás contra a família- projeto de Deus. Logo, lutas e mais lutas pela frente, mas com a vitória em Cristo já salvaguardada. Aleluia!

ALIANÇA ou PACTO:
Terceira chave é igualmente crer ou ainda mais - é esperar e CRER contra a esperança de que nossos filhos e filhas estão debaixo do pacto da salvação, já que somos, ou pelo menos um dos conjuges é cristão. Ora, mas onde se encontra isso na Bíblia irmão? em Atos 2:39 que diz: "Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar".

Será que existe um texto mais claro da parte de Deus para trazer paz, alívio e tranquilidade a família, a um pai ou uma mãe em relação aos filhos? Creio que não!
O Senhor nos diz que a PROMESSA DIZ RESPEITO. Que promessa?  Leiam o versísulo 38 de Atos 2 e a resposta será obtida. Respeito a quem? A nós. Somente a nós? Não, mas também respeito a nossos filhos (e filhas)! Somente aos nossos filhos e filhas que nos rodeiam?  Em Absoluto, pois também diz respeito aos que estão longe. E... a tantos quantos Deus! (OPA!!!) - Vamos nos ligar... a tantos quantos Deus NOSSO SENHOR chamar!

Se Deus não for Senhor nosso e de nossa família, podemos ESQUECER! Ele não será responsável por nada que possa nos ocorrer! O compromisso dEle é para os que estão dentro ou debaixo do pacto, ou em aliança com Ele.

DESFAZER:
Ainda uma outra chave e se encontra em I João 3:8 - "Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo". Jesus, o Filho do Deus vivo se manifestou para DESFAZER, destruir, aniquilar, colocar um ponto final nas obras do diabo. Novamente, não podemos ser meninos em pensar que Jesus se manifestou e agora não temos mais nada a fazer a não ser deitar eternamente em berço esplêndido, ao som do mar e a luz do céu profundo e achar que uma precezinha de 30 segundos antes de dormir será suficiente para aplacar e resistir a investida de satanás. A doutrina de criar os filhos na admoestação do Senhor pesa sobre "os pais" (não avós, pastores, professores, etc - Efésios 6:4). A doutrina de inculcar a Palavra nos filhos cabe impreterivelmente aos pais (Deuteronômio 6:8-11). Assim, cabe aos progenitores invocar o Nome do Senhor sobre seus filhos e famílias. O socorro ou salvação (no sentido de situações) é diretamente proporcional a INVOCAÇÃO, ou busca! (Salmo 50:15 - Romanos 10:13).

Não pensemos que o fato de levarmos nossos filhos uma ou duas vezes a igreja lhes dará suporte bíblico para se tornarem invioláveis contra as astutas ciladas de satanás que se tem multiplicado dia após dia contra a família! Tampouco que o fato de sermos ativistas na obra colocará o diabo ao largo de nossas vidas e famílias. É preciso primeiramente SUJEITAR-SE A DEUS, e então resisti-lo e só assim ele fugirá de nós e daquilo que temos autoridade - familia, filhos. (Tiago 4:7).

Cabe aos pais determinar um tempo - primeiramente para si mesmos - e depois, para ministrar suas crianças sobre a Bíblia, sobre Deus e Seus ensinamentos. Ou faz isso, ou certamente conviverá com rebeldia no futuro.

OS REBELDES:
E quanto aos filhos que agora já tem uma certa idade que dificilmente os sujeitamos, pois se tornaram irreverentes e rebeldes?

Bom, a coisa mais importante a fazer e NÃO desconsiderar as "chaves" que já mencionamos acima. Quando Jesus disse que se manifestou para destruir as obras do diabo, Ele não o fez asseverando uma ou outra consideração. Sendo assim cremos que ela é igualmente poderosa em qualquer tempo e a qualquer um; todavia, deverá ocorrer um realinhamento de atitudes em relação aos filhos e a família. Quando digo realiamento, estou me referindo a uma busca de Deus de maneira mais apreciativa tendo em vista o bem da família, e isso deverá ser acompanhado de jejuns e orações. É fundamental saber que a luta não é contra seu filho ou filha e sim contra um espírito de rebeldia que tem estado a vontade para atuar na vida dele ou dela (muitas vezes em conluio com outros espíritos - vaidade, luxuria, promiscuidade, vicios, etc).
Se a Bíblia diz que há tempo para tudo, então deve haver tempo para avaliar o que seu filho ou filha representa à vocês e se vale o esforço de buscar a Deus em jejuns e oração, suplicas e ações de graça por ele ou ela.

Sei que perguntas devem pulular em mentes que agora lêem essa mensagem, todavia, digo que as respostas a todas elas são e sempre serão encontradas na Bíblia Sagrada. O diabo tem encontrado ampla vantagem na sociedade moderna por incutir nas mentes que ele não existe ou que pelo menos não é tão mau quanto parece. Em suma ele é a razão de toda a calamidade que existiu, existe e ainda existirá. Ele não poupa ningém e seu alvo principal é se opor a tudo o que Deus fez e como alvo principal ele tem a família, pois, ela é a razão principal de trazer a existência "novos adoradores". Isso ele abomina e empreende largos esforços para destrí-la.

ESPERANÇA:
Finalmente e Aleluia, Louvado seja Deus por isso a Palavra nos conforta e nos dá autoridade quando afirma:
"Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (1 João 4:4). Também diz: "Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum" (Lucas 10:19).

Há um empreendimento celestial poderoso a nossa disposição e a disposição de nossa família - conjuge, filhos e filhas - portanto, se não fizermos caso disse e sucumbirmos, jamais poderemos culpar a Deus. Outra coisa,  tampouco pensemos que uma situação assim se resolve num estalar de dedos!

Será necessário muita oração, jejum, paciência, perseverança, longanimidade, discernimento e sabedoria, todavia, todas esses elementos são encontrados no Senhor que prometeu NUNCA nos deixar sós.
Amém e amém!

Autor: Vilson Ferro Martins
fonte: www.vozdotrono.com.br

O que a Bíblia diz que devemos fazer com um filho rebelde?





Pergunta: "O que a Bíblia diz que devemos fazer com um filho rebelde?"

Resposta: 
Um filho que está exibindo um período de rebeldia pode estar fazendo isso por vários motivos. Um tratamento duro, não amoroso e crítico por parte dos pais vai quase sempre resultar em rebeldia. Até mesmo o filho mais obediente vai sofrer rebeldia – em pensamentos ou ações – contra tal tipo de tratamento. Naturalmente, esse tipo de comportamento por parte dos pais deve ser evitado. Além disso, uma certa quantidade de rebeldia contra os pais é natural em adolescentes que estão aos poucos se separando de suas famílias e estão no processo de estabelecer suas próprias identidades e vidas.

Para o propósito deste artigo, no entanto, vamos assumir que o filho rebelde é aquele que tem uma personalidade naturalmente forte. Ele nasceu assim e seu jeito de ser faz parte de como Deus o criou, e tudo que essa criança faz reflete isso. Uma criança de temperamento forte caracteriza-se por uma inclinação a testar limites, um grande desejo de ter controle, e um compromisso de resistir a qualquer forma de autoridade. Em outras palavras, rebeldia faz parte de seu nome. Além disso, muitas vezes essas crianças são extremamente inteligentes e podem “dar um jeito” em suas situações com grande rapidez e achar formas de controlar as circunstâncias e as pessoas ao seu redor. Essas crianças podem ser, para seus pais, um desafio bastante árduo e exaustivo.

Felizmente, no entanto, também é verdade que Deus os criou assim, Ele os ama e não deixou seus pais sem recursos para vencer este desafio. Há princípios bíblicos que lidam com a criança rebelde e de temperamento forte com graça e bom humor. Primeiro, Provérbios 22:6 nos diz: “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”. Para todas as crianças, o caminho em que devem andar é em direção a Deus. Ensinar as crianças a Palavra de Deus é de extrema importância, as quais devem compreender quem Deus é e como melhor servi-lO. Com a criança de temperamento forte, compreender o que o motiva – o desejo de ter controle – vai ajudá-lo bastante a achar “seu caminho” certo. Essa criança precisa entender que não está em controle do mundo – Deus está- e simplesmente precisamos fazer as coisas do jeito que Deus quer. Isso exige que os pais estejam completamente convencidos dessa verdade e vivam de acordo. O pai ou mãe que está em rebeldia contra Deus não vai poder convencer seu filho a ser submisso ao seu Pai Celestial.

Quando ficar claro que Deus é Quem faz as regras, os pais precisam estabelecer na mente da criança que são apenas instrumentos de Deus e que vão fazer o que for necessário para cumprir o plano de Deus para sua família, e o Seu plano é que os pais liderem e que a criança os siga. Não pode haver qualquer vacilo neste ponto. A criança de temperamento forte pode perceber indecisão de longe e vai se aproveitar da oportunidade de tomar a liderança e ter controle da situação. O princípio de se submeter às autoridades é muito importante para a criança de temperamento forte. Se ela não aprende quando ainda criança, seu futuro vai estar cheio de conflitos com todas as autoridades, incluindo chefes, polícia, lei e líderes militares. Romanos 13:1-5 deixa bem claro que as autoridades sobre nós foram estabelecidas por Deus, e devemos nos submeter a elas. Além disso, a criança de temperamento forte apenas vai cooperar de bom grado com as regras e leis quando fazem sentido. Dê um bom motivo para as regras, repetindo constantemente a verdade de que fazemos as coisas do jeito que Deus quer que as façamos e que isso não é negociável. Explique que Deus deu aos pais a responsabilidade de amar e disciplinar seus filhos e deixar de fazer isso significaria que os pais não estão obedecendo a Deus. Quando possível, no entanto, dê oportunidades à criança a ajudar a fazer decisões para que não se sinta completamente sem controle. Por exemplo, ir à igreja não é negociável porque Deus quer que nos reunamos com outros Cristãos (Hebreus 10:25), mas as crianças podem ajudar a escolher o que vão vestir, onde a família vai se sentar, etc. Dê a eles projetos que podem liderar de alguma forma, como ajudar a planejar as próximas férias.

Além disso, os pais precisam ser consistentes e pacientes. Eles não devem levantar suas vozes, levantar suas mãos com raiva ou perder a cabeça. Isso vai dar à criança com temperamento forte o sentimento de controle ao qual tanto almeja, e ele vai logo aprender como controlar seus pais por frustrá-los ao ponto de fazê-los reagir emocionalmente. Disciplina física (espancar) geralmente não funciona com essas crianças porque elas gostam tanto de ver seus pais chegarem à ultima gota, que acham que a dor valeu a pena. Pais de crianças de temperamento forte frequentemente relatam que seu filhos riem deles enquanto estão sendo espancados, por isso disciplina física provavelmente não é a melhor forma de disciplina para lidar com esse tipo de criança. Talvez em nenhum outro lugar da vida os frutos do Espírito de paciência e auto-controle (Gálatas 5:23) vão ser mais necessários do que com a criança de temperamento forte.

Por mais irritante que seja para o pai ou mãe de uma criança assim, os pais devem se confortar na promessa de Deus de que não vai nos testar mais do que podemos aguentar (1 Coríntios 10:13). Se Deus os deu uma criança de temperamento forte, os pais podem ter certeza de que Deus não cometeu um erro e vai providenciar direção e recursos que os pais precisam para realizar a tarefa. Talvez em nenhum outro lugar na vida desse pai ou mãe as palavras “orai sem cessar” (1 Tessalonicenses 5:17) tenham mais significado do que com a criança de temperamento forte. Os pais de tais crianças precisam se ajoelhar constantemente diante de Deus pedindo por sabedoria, a qual Ele prometeu providenciar (Tiago 1:5). Finalmente, há conforto em saber que crianças de temperamento forte que são bem treinadas geralmente crescem e se tornam adultos de grande realizações e sucesso, assim como Cristãos destemidos e comprometidos. Eles aprendem a usar seus talentos para servir ao Senhor que eles aprenderam a amar e respeitar através dos esforços de pais pacientes e diligentes



Comentários